quarta-feira, março 18, 2009

Web 2.0 em Bibliotecas

No dia 13 de março de 2009 tive o prazer de participar da Palestra "Web 2.0 em bibliotecas" proferida pela bibliotecária portuguesa Teresa Laranjeiro. A palestra foi realizada em homenagem ao Dia do Bibliotecário. Foi muito bom encontrar colegas de profissão que há muito tempo não via, pessoas com quem iniciei meu aprendizado na área de biblioteconomia. Como de costume gostaria de compartilhar o que foi falado na Palestra.

A biblioteca 2.0 deve proporcionar acessibilidade, interatividade, colaboração e participação dos usuários junto a ela. O objetivo principal de pensarmos em ferramentas da Web 2.0 em bibliotecas é principalmente para facilitar o trabalho do bibliotecário e também o acesso do usuários seja ao acervo ou para fazer uma sugestão e receber uma informação de forma rápida e precisa.

Foram citadas algumas ferramentas que já fazem parte do nosso dia-a-dia como usuários mas que talvez não pensemos em aplicá-las às nossa biblioteca. Ferramentas que antes eram vistas apenas como passatempo de adolescentes hoje são ferramentas de trabalho. São elas;

-O blog: gratuito, fácil de criar e usar, pode complementar o site da biblioteca e tem inúmeras aplicações. É muito mais que um diário eletrônico.

-Twitter: é considerado um micro-blogging. Gratuito, fácil de usar, possibilita a fácil comunicação e também pode complementar o site da biblioteca.

-Delicious: um tipo de lista de favoritos disponível on-line de qualquer computador em qualquer lugar do mundo. Também é gratuito, acessível, operado com linguagem natural.

Quero também deixar minhas percepções sobre a Web 2.0 em biblioteca.

Cada biblioteca precisa identificar quais ferramentas são adequadas a sua biblioteca e aos seus usuários. Não se pode esquecer que para utilizar qualquer ferramenta é preciso de planejamento, persistência e avaliação, caso contrário a idéia morre com o primeiro problema que encontrar.

Se você pretende utilizar a Web 2.0 em sua biblioteca, também é preciso familiarizar os seus colaboradores com essa ferramentas. De nada adianta lançar uma idéia que as pessoas não conhecem ou não estão familiarizadas. As bibliotecas ainda são locais muito conservadores e muitos bibliotecários são resistentes às novidades, não conseguem ver sua atuação longe do papel, do livro em meio físico. Antes de mais nada crie um ambiente propício para a utilização dessas ferramentas, crie a cultura do compartilhamento de informações.

3 comentários:

Formoso disse...

Muito bom o post. To dando umas beliscadas no Twitter para ver o seu comportamento.
Você falou uma coisa muito interessante, que é a implantação de um novo processo ou de uma nova atividade dentro de um processo já existente. Simplesmente porque nesse processo de adaptação existe o fator humano. E lidar com pessoas ainda é um desafio, mudar a rotina de uma é pior ainda.
Nada que uma oração antes de dormir não resolva.
Beijus

Karol disse...

Oi Paulinha. Partilho sua opinião de que as bibliotecas devem utilizar-se da Web 2.0, principalmente para o serviço de referência também e para feedback sabe. O uso de chaterbots é uma opção interessantíssima, e também os blogs, que são fáceis de criar, manutenir e alimentar; e ainda o uso de hipermídias adaptativas nos sites e sistemas de biblioteca, como forma de melhorar a interação entre biblioteca e usuários.

Beijo super ^^

Anônimo disse...

bom dia Paula,
nosaaaaaaaaaaa!
adorei esse blog e confesso que sou bem ignorante no que diz respeito a web 2.0, mas como fiz uma entrevista interessada em uma vaga e o que a entrevistadora mais perguntava pra mim era se eu conhecia ou tinha tido algum contato com webs, percebi que preciso me interar disso e a partir dai sai "furuncando" por tudo que é página para aprender mais. Esse blog me está sendo muito bom e útil.
parabéns