quarta-feira, abril 29, 2009

Uma bibliotecária na França

Outro dia fui surpreendida com um e-mail em minha caixa postal. A bibliotecária Sônia Mara me escreveu se apresentando e disse que havia acessado meu blog. Coicidentemente ela também é bibliotecária na UFPR e conseguiu o endereço do blog pela filha, também bibliotecária, que ministrou uma palestra em um evento que eu participei no ano passado. Fiquei muito feliz com o contato, afinal não conhecia a Sonia Mara, pois ela está na França cursando o Mestrado na Escola Nacional Superior de Ciências da Informação e de Bibliotecas - L'Enssib.
Desse contato por e-mail surgiu a idéia de convidá-la para escrever um texto para o blog relatando algumas experiências que ela tem vivenciado em sua vida de acadêmica na França. Portanto, publico hoje a primeira parte desse relato e aproveito para agradecer à colega por sua contribuição. Nesse primeiro texto ela relata as dificuldades para chegar a um país como a França e as vantagens de estar lá.
Viver na França....Lyon...Villeurbanne ......

29 de Abril 2009

A VONTADE DE IR MAIS LONGE

Viver fora do pais é uma escolha, principalmente se a opçao é estudar ou trabalhar. Partindo deste princípio, toda opção requer decisão, ir ou ficar. Ficar ou ir. E lá (nesta questão) está toda a nossa motivaçao, contentamento e vontade.
A vontade nos impulsiona a superar as dificuldades. Porque as dificuldades existem em todos os aspectos.
Sair do nosso país exige, sobretudo, paciência para seguir os caminhos administrativos exigidos e indispensáveis para a vida futura. Obter um visa para a França é obrigatório,(para quem pretende ficar mais de três meses) abrir uma conta corrente em um banco, também, assim como alugar um apartamento ou studio. Todas estas tarefas, que em nosso país parecem coisas tão simples, aqui se agigantam. Não é simples, nem fácil, ou rápido e custa caro. Por isso é importante, penso eu, que você esteja preparado financeiramente, com um valor minimo de R$1.800 ao mês, para viver modestamente. Porém, mais importante que tudo isto, é a sua vontade. Crescer, sair do seu ambiente trânquilo e acolhedor, do seu conforto, da sua comodidade e se lançar rumo a um desconhecido tempo, que lhe trará experiências maravilhosas. É tentador e vale a pena, porém individual, por isso OPCIONAL.
Em termos administrativos, todo o processo é importante. O mais importante, é que você será identificado pelos organismos de imigraçao, será reconhecido, terá a sua identidade francesa temporária e será bem-vindo à França. (Depois da burocracia, vem a bonança).

ÉTICA

Ao chegar na França com toda essa papelada, você precisa ainda solicitar o seu “titre de sejour” Mas ai é outra estória .....
Cumprir todas as formalidades e exigências para entrar no país é fundamental. Mostra a sua responsabilidade, o desejo de concretizar seus sonhos , compartilhar as experiências com outros estrangeiros e encorajar iniciativas de colegas. A responsabilidade e a transparência, o exemplo de boa conduta e a dignidade são as condições morais que lhe farão sentir-se “em casa”.
Sônia Mara

2 comentários:

Débora Maria disse...

Acompanho seu blog faz tempo, mas nunca comentei. Parabéns pelos assuntos abordados e pela clareza e facilidade com que você escreve!

Paula Carina de Araújo disse...

Obrigada Débora. Bom saber que o blog está sendo bem recebido pelos colegas de profissão. Acessei seu blog e também gostei muito, agora passa a fazer parte da minha lista de blogs.

Abraço