terça-feira, maio 05, 2009

Viver na França....Lyon...Villeurbanne ......

Quero agradecer à bibliotecária Sônia Mara por compartilhar com os leitores do "Na era da Informação" suas experiências como estudante de Ciência da Informação na França.
Segue abaixo a segunda parte do relato.
Boa leitura!
VIDAS PARALELAS

O que me marcou quando cheguei aqui na França, em setembro de 2008, foi a “boa acolhida” dos franceses. Moro em Villeurbanne, que é um bairro próximo de Lyon. Aqui é uma Cidade Universitária. Tem muitos estudantes brasileiros, distribuidos nas Universidades de Lyon I, Lyon II, Lyon III, entre outras e penso que temos uma boa referência. Somos um povo bem-vindo. Tenho boas experiências e estórias de colegas que estudaram ou estudam nessas Universidades.

Fui recebida pelo Diretor da escola, com um largo sorriso. Os funcionários que estavam por perto também foram gentis, solícitos e assim continuam, quase um ano depois da minha chegada. Faço Mestrado na Escola Nacional Superior de Ciências da Informação e de Bibliotecas - L'Enssib situada em Villeurbanne - France. A L'Enssib tem como missão formar conservadores e bibliotecários de todos os territórios nacionais e internacionais, que se interessam nos serviços pertinentes a organização de documentos, desenvolvimento de informações cientificas e técnicas e o desenvovimento de pesquisa em Ciências da Informação, Biblioteconomia e História do Livro. É um grande estabelecimento de ensino superior, criado por decreto em 1992, tendo sucedido a l'ENSB (École Nationale Supérieure de Bibliothécaires), criada em Paris em 1963 e transferida para Villeurbanne em 1974. No início de 1999, fez uma fusão com o Instituto de Formação de Bibliotecários, o que faz deste estabelecimento Nacional Francês, o único na Europa, para formação de profissionais de categoria A na área da Biblioteconomia.

Passam por aqui estudantes de vários países, e todos os continentes são representados. São pessoas maravilhosas. “Um cadinho para lembrar-se pela vida afora”. Este ano letivo de 2008-2009 tenho como colegas estrangeiros duas chinesas, uma africana, um suiço, um algeriano, duas Sirias e uma cubana. A cubana partiu “antes do tempo” . Mas deixou sua marca, contou suas experiências e nos mostrou um pouco da realidade de seu país. Trocamos experiências, compartilhamos com os franceses, nossos anfitriões, as realidades dos nossos países. Nós, estudantes, nos enriquecemos com este aprendizado que faz parte do curriculum, de forma “implícita”. Não tem nota e nem avaliações, mas, acredito que é um dos mais belos e apaixonantes “ensino-aprendizagem” desse período como estudante, para todos nós. As vidas que passam e as suas estórias deixam marcas indeléveis na personalidade de cada um. O autor Eric Landowski, em seu livro “A presença do outro” embasado na sociossemiótica, fala da importância do outro na construção da nossa identidade. Ele cita tembém algumas especificidades do povo francês e de seu relacionamento com os estrangeiros...(para ler e refletir)...

ATIVIDADES

Os habitos de vida são diferentes. Os franceses nao trabalham aos sábados, nem aos domingos, salvo por motivo de força maior. Eles amam “sair de circulação” nos dias feriados. Valorizam os dias de sol, lotam os parques, os jardins e as estradas. Partem para regiões próximas ao mar. No inverno vão para as montanhas fazer ski, ou simplesmente passear. Quem não tem muito dinheiro para fazer viagens caras, vai ao cinema, ao teatro, aos museus e às bibliotecas. Nao esquecendo de comentar, que aqui na França, tudo é pago. Mesmo para fazer carteirinha em uma biblioteca municipal, o cidadão paga. Isto nao é um problema, faz parte da cultura. Aprende-se a valorizar o dinheiro, o patrimônio, a história. Valorizar e preservar.

PROJETOS FUTURO

Sou herdeira do futuro. Todo o esforço é valido para projetar um espírito que vai pouco mais além. Ir mais longe, deixar um traço, fazer projetos que possam benificiar o amanhã. Melhorar a qualidade de vida através de ações concretas é uma atitude que me encanta. Tantas pessoas trabalham para isto no mundo, no Brasil, nas Universidades e eu quero fazer parte deste grupo.
Espero que este aprendizado, que este conhecimento, que é para mim, uma ferramenta indispensável na construção desse futuro que desejo, possa me permitir fazer parte dos trabalhos que já estão em andamento na nossa comunidade. Não quero descobrir a “América”, ela já foi descoberta. Mas quero contribuir, fazer parte da construção dos novos caminhos abertos para atravessarmos as velhas descobertas, inclusive da América.
Fazer a diferença, este é um belo futuro. É para ele que estou olhando neste momento, sem esquecer que o presente é que me levará “petit à petit” em direção ao futuro que está bem aqui na minha frente.


Bibliografia

LANDOWSKI, Eric. Presença do outro :ensaios de sociossemiótica. Sao Paulo: Perspectiva, 2002.

7 comentários:

Renata disse...

Olá, Paula
Estou indo para Lyon em setembro e gostaria de algumas dicas em relação a residência, custo de vida...
Moro em Porto Alegre.
Poderias me ajudar?
Sucesso pra ti!

henrique926 disse...

Oi Paulo, tudo bem?
Me chamo Paulo e moro em SP- capital. Irei morar em Lyon por 6 anos e gostaria que me indicasse um bairro bom para viver ai.
abraços
Paulo

Paula Carina de Araújo disse...

Boa Noite Henrique, obrigada pelo acesso e comentário no blog.

Essa experiência que publiquei aqui no blog não é minha. O texto é da Sônia Mara, bibliotecária da UFPR que está cursando o mestrado em Lyon. Infelizmente não tenho mais informações sobre Lyon.

Abraço!

Livia disse...

Ola Paula, gostaria de saber como faco para ter acesso as informacoes sobre fazer mestrado em Lyon. Você poderia me dà as dicas? Atualmente estou em Lyon estudando frances na Alianca Francesa. Adorei tanto a cidade e gostaria de fazer meu mestrado aqui. Meu email eh livia.amaral@vale.com

Anônimo disse...

Oi Paula, Boa tarde!!!
Sou de Araguari-MG, e tenho um amigo que mora em Lyon, ele me fez uma proposta muito boa, pois formo em Educação Física no final do ano, ele me pediu pra que fizesse pós graduação lá em Lyon, gostaria de saber se o diploma de minha graduação aqui no Brasil, vale em lyon, se eu posso fazer a pós lá?
Também gostaria de saber, o que é melhor eu fazer uma pós lá, ou aqui e lá eu fazer um mestrado?
Gostaria de também saber como que faço para poder ir por Intercâmbio, sendo que minha faculdade o intercâmbio é só para o EUA?
Muito obrigado.

g"g" disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sara disse...

quão bonito seria viver lá, sem dúvida, mas eu gosto que há mais energia na América do Sul, por isso estou sempre visitar cidades diferentes, espero que este ano para conseguir um apartamento em buenos aires