sexta-feira, agosto 14, 2009

Os pecados informacionais

Esta semana dediquei-me um pouco mais às leituras para a minha dissertação de mestrado. Comprei um livro que estava "namorando" há algum tempo: "Gestão estratégica da informação e inteligência competitiva", organizado por Claudio Starec, Elizabeth Gomes e Jorge Bezerra Lopes Chaves. O livro é ótimo e tem ajuda muito em minhas reflexões para poder desenvolver uma boa pesquisa.

O Capítulo 4 desse livro é curioso. Seu título é: A dinâmica da informação: a gestão estratégica da informação para a tomada de decisão nas organizações, foi escrito por Claudio Starec, e apresenta como um dos tópicos centrais os pecados informacionais e barreiras da comunicação da informação nas organizações. O autor faz uma analogia com os sete pecados capitais, gostaria de compartilhar com vocês:
  • Avareza: característica dos "czares da informação" – concentração da informação em determinado departamento e/ou pessoas que abusam do poder de reter a informação.

  • Gula: a sociedade do exabyte – excesso de informação que gera o caos informacional.

  • Ira: insatisfação com a falta de informação correta, precisa, eficaz.

  • Inveja: problemas com a ética informacional;

  • Luxúria: problemas na estética da comunicação. São falhas nos processos de comunicação da informação;

  • Preguiça: a obsolescência da informação;

  • Soberba: poder de possuir a informação. Informações informais essenciais podem ser deixadas de lado, enquanto informações formais, não tão importantes, são idolatradas.

Achei fantástica a analogia feita pelo autor e lembrei de várias situações que presenciei nesse início de carreira. Acredito, assim como Starec, que a gestão da informação pode contribuir para minimizar e até mesmo extinguir esses problemas nas organizações. Você já cometeu algum dos pecados informacionais? Já presenciou algum deles durante sua vida profissional? Compartilhe sua experiência conosco!

STAREC, Claudio. A dinâmica da informação: a gestão estratégica da informação para a tomada de decisão nas organizações. In: STAREC, Claudio; GOMES, Elisabeth Braz Pereira; CHAVES, Jorge Bezerra Lopes (Orgs.). Gestão estratégica da informação e inteligência competitiva. [São Paulo]: Saraiva, 2005. Cap. 4.

2 comentários:

Lú Silva disse...

Menina, também gosto muito desta analogia. Alias, acho analogias um máximo!

Eu amo CI!!!!!!

Tais pecados de fato prejudicam o bem mais valioso da empresa, que é a informação. Por isso, gosto tanto da gestão da informação, esta área, entre outros fatores, visa quebrar este paradigma.

Bjos

Elder Lopes Barboza disse...

Muito interessante mesmo!!
Se eu cometo algum desses pecados, ainda não percebi (espero que não), mas o que sinto é que as pessoas muitas vezes cometem a avareza, com a ajuda da preguiça e contribuição do comodismo. Não disseminam a informação como de fato deve ocorrer, embora de uma maneira controversa, esperam estar bem informadas por meio dos outros. A grande dificuldade, na minha opinião, é transformar os consumidores de informação em produtores ou mesmo disseminadores da mesma.

Abraços.

Elder Lopes Barboza