sexta-feira, dezembro 28, 2012

Livros eletrônicos: minha opinião como leitora

Admito que ainda não sou uma grande conhecedora do assunto mas, tenho me esforçado para isso. Já faz algum tempo que quero escrever sobre livros eletrônicos, entretanto, o empurrãozinho veio depois de ser questionada por um dos leitores do blog sobre minha posição com relação a esse novo suporte! Sim, acredito que o livro eletrônico é um novo suporte de informação. Diga-se de passagem, é um suporte bem diferente, pois estamos acostumados com o bom e velho papel.

A questão dos e-books pode ser discutida a partir de diversos pontos de vista, alguns deles são: do leitor, do autor, do editor e do bibliotecários. Dois deles me interessam, pois sou uma leitora e também bibliotecária. Neste post vou apresentar minha opinião como leitora.

Para mim o livro eletrônico tem algumas vantagens, listo três delas: 

- Portabilidade: a possibilidade de carregar uma infinidade de livros sem ocupar muito espaço e sem pesar muito me fascina. Explico: sou daquelas leitoras que quando viaja não consegue se decidir sobre qual livro levar. Por isso, acaba carregando dois, três e até quatro livros para ter mais opções. Ultimamente, tenho lido mais de um livro ao mesmo tempo, dependendo do humor, estado de espírito, sei lá. Um leitor de e-books com uma boa memória possibilita carregar quantos livros eu quiser e até mesmo adquirir, por meio de um click, um novo livro que me desperte o interesse.

- Interação: atualmente, os livros tem sido criados de forma a facilitar a interação com o leitor. Enquanto você lê um livro eletrônico, pode clicar em uma palavra desconhecida e ser remetido ao dicionário e conhecer o significado. Também é possível ser direcionado para um video que ilustra determinada informação apresentada pelo autor, o que é fascinante. Há algum tempo, apresentei aqui no blog um exemplo de livro digital interativo muito interessante.

- Facilidade de aquisição: as livrarias virtuais facilitam muito a compra de livros eletrônicos, basta o acesso à internet e um cartão de crédito em mãos. Rapidinho, você compra quantos livros desejar. Esse fator me ajudou muito durante meus estudos na pós-graduação, pude adquirir livros que estavam disponíveis apenas em livrarias no exterior ou como e-books em livrarias virtuais. Não precisei esperar nem um dia para ter o livro a minha disposição e continuar com minhas pesquisas.

Como qualquer nova ferramenta, o livro eletrônico também apresenta desvantagens para os leitores, entre elas cito algumas:

- Possibilita a fácil distração: se você utiliza um tablet ou smartphone como leitor de livro eletrônico, as chances de iniciar a leitura de um texto e não ser interrompido a cada cinco ou dez minutos é quase nula. A menos que você seja alguém muito disciplinado e desative todas as notificações  do aparelho (e-mail, facebook, twitter, instagram, etc). Além disso, a possibilidade de interação (a qual eu citei como vantagem) também pode se caracterizar como desvantagem. Pois, quando você clica em um link do livro, poderá ser remetido a uma outra plataforma e os links não terão mais fim. Sem dúvidas, é preciso foco e muito controle de sua curiosidade. Confesso que para mim isso é muito difícil!

- Não carrega "sentimento": não sei se esta é a palavra correta mas, quando falo em sentimento, refiro-me ao fato de que o livro eletrônico não traz as marcas das pessoas que já o usaram. Trata-se apenas de um arquivo eletrônico que podeser transmitido por e-mail, pen drive, etc. Um livro em papel, entretanto, tem cheiro, as folhas tem texturas diferentes, carregam histórias por meio das dedicatórias escritas a mão. Um livro de uma biblioteca, por exemplo, pode transmitir as histórias de várias pessoas que o emprestaram, pois os leitores esquecem entre suas folhas: cartões, fotos, recibos de contas e, por vezes, deixam seus rabiscos, o que me irrita muito...rsrsrsrs.

Em minhas reflexões sobre esse assunto cheguei a conclusão que acredito na sobrevivência do livro impresso e na sua convivência amigável com o livro eletrônico. No meu caso, eles tem utilidades diferentes: os livros eletrônicos são mais para fins acadêmicos e são meus companheiros durante as viagens. Já os impressos: adoro recebê-los de presente e com dedicatória (fica a dica), aprecio muito a leitura no sofá de casa ouvindo boa música (Sim! Faço as duas coisas ao mesmo tempo), gosto de colecioná-los e ver a estante cheia, gosto muito de ler no ônibus a caminho do trabalho ou na praia ouvindo o barulho das ondas do mar, garanto que eles são bons companheiros nessas horas!

E quanto a você? Qual sua relação de leitor com os livro eletrônico?

5 comentários:

Paula Carina disse...

Dica de leitura para quem se interessa pelo assunto: "5 Startups Working to Improve the E-Book Reading Experience"

http://mashable.com/2012/12/26/e-book-startups/

Anônimo disse...

Adorei sua opinião.
Muito bem escrita e analisada.
Vou reler e fazer um comentário mais profundo da reflexão que você expor. Um abração.
Cida Rosso

Paula Carina disse...

Obrigada, Cida! Apareceça mais vezes e apresente seus comentários!

veronica Ferreira disse...

Paula Querida gostei muito das suas argumentações sobre os E-bboks, imagina para minha geração encarar este tipo de suporte.
Mas estamso evoluindo graças a Deus... Que não percamos o encanto pelo papel, adoro o cheiro dos livros e isso nenhum suporte digital pode nos dar.
Parabéns pela exposição do assunto. Abraços
Verônica/SESC

Paula Carina disse...

Obrigada, Verônica. Visite sempre o blog e deixe sua opinião. Beijos.