terça-feira, novembro 11, 2014

Traços históricos da Ciência da Informação

A Ciência da Informação, proveniente da Documentação e com relação direta com importantes estudos teóricos desta área, tem amadurecido cada vez mais com o auxílio de estudos históricos, epistemológicos e metodológicos que tentam compreendê-la como ciência social. Muitos desses estudos apontam a CI como ciência pós-moderna que tem como objetivo, resolver problemas da sociedade, compreendê-los e criar estratégias para lidar com eles, o que se evidencia na pesquisa de Wersig (1993).

Paul Otlet
Ao defender a organização da documentação como área de estudo e pesquisa, Paul Otlet já estava desenhando o que hoje se chama CI, conforme afirma Rayward (1997) ao estudar as origens dessa ciência. Inscrita na pós-modernidade, a CI tem características das ciências desenvolvidas nesse período. Acompanha um momento em que o conhecimento é cada vez mais valorizado, quando o desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) causaram grande impacto na sociedade e houve uma mudança no papel do conhecimento (TÁLAMO; SMIT, 2007; WERSIG, 1993).

Nesse contexto, Tálamo e Smit (2007) buscam reconhecer o desenvolvimento e o papel da CI na pós-modernidade. Fazem uma crítica ao fato da CI  usar sua interdisciplinaridade com o álibe para a busca da sua cientificidade. É fato que a CI é uma ciência interdisciplinar por relacionar-se com outras áreas do conhecimento para explicar os fenômenos que envolvem seu objeto de estudo, seja ele a informação ou as suas interações. As autoras defendem que a interdisciplinaridade deve ser defendida e utilizada para esse fim e não como justificativa.

Wersig (1993), Tálamo e Smit (2007) descrevem as características de uma ciência (existência de métodos definidos e de um objeto) e inserem a CI nesse contexto. Na pós-modernidade é exigida uma redefinição dos conceitos científicos amplos que dela fazem parte, a reformulação dos conceitos que compartilha com outras área, o que Wersig (1993) chama de interconceitos. Além do entrelaçamento destes com os modelos propostos.

Além desses itens, Tálamo e Smit (2007) propõem o desenvolvimento de métodos  e estratégias de uso e mediação da informação. Sem dúvidas, como ciência que surgiu na pós-modernidade, a CI tem muito a evoluir, mas também contribuir para a construção da sociedade. Sabe-se que houve uma mudança no papel do conhecimento, que agora foi despersonalização, tornou-se difícil reconhecer sua credibilidade, está fragmentado em novos formatos e meios de disseminação, além de uma maior busca por sua racionalização.

Num momento onde a diferença é cada vez mais evidente na sociedade, busca-se a diminuição das desigualdades e o aumento do número de pessoas conectadas. A CI pode desempenhar importante papel para encontrar solução para o problema da desigualdade ainda evidente, em busca da formação de um verdadeira sociedade do conhecimento, onde a diversidade está no centro, característica que a distingue da Sociedade da Informação. Apesar de todo o avanço tecnológica, todas as facilidades e possibilidades de interação e conexão entre as pessoas, intrínsecas à sociedade do conhecimento, elas não estão disponíveis para todos.

Ao reconhecer sua identidade de ciência pós-moderna, interdisciplinar e que auxilia na resolução dos problemas relacionados à informação, seu uso, mediação, criação e disseminação, este campo científico poderá contribuir ainda mais para a sociedade, cumprindo assim seu papel social de dar o acesso à informação. 

* Texto elaborado com base nas leituras e estudos da bibliografia recomendada no processo seletivo do Doutorado em Ciência da Informação da USP e UFSC para o ano de 2015.

Referências

RAYWARD, W.B. The origins of information science and the International Institute of Bibliography/International Federation for Information and Documentation (FID). Journal of the American Society for Information Science, v.48, n.4, p.289-300, 1997.

TÁLAMO, M.F.G.M. & SMIT, J.W. Ciência da Informação: pensamento informacional e integração disciplinar. Brazilian Journal of Information Science, v.1, n.1, p.33-57, jan./jul 2007. Disponível em: http://bjis.unesp.br Acesso em: 5 set. 2014.

WERSIG, G. Information Science: the study of postmodern knowledge usage. Information Processing & Management, v.29, n.2, p.229-239, 1993.

Nenhum comentário: